terça-feira, 30 de junho de 2009

Tenho que dar o braço a torcer...


Com críticas que continuam a rondar os programas esportivos, sou obrigado a dizer obrigado... ao Dunga! Não esperava a chance de assistir a um espetáculo de alta emoção, o máximo que o torcedor pode pedir. Sim, porque o resto são apenas estratégias para conseguir o que foi visto. Os EUA são fracos? Não interessa, os EUA ganharam um título inédito: nunca haviam chegado tão longe numa competição internacional. Os EUA são fracos e o Brasil se beneficiou? Não interessa também, a amarelinha deu uma bonita demonstracão de superação psicológica, de jogo de equipe, mostrou seus heróis em campo. Portanto, um jogo romântico. Como a tempos eu não via.

Mas o que isso tem a ver com o ambiente? Pra mim que abri a semana fazendo analogias com a seleção canarinha, bastante. E, assim como foi pro Dunga, tenho que dar o braço a torcer pro Greenpeace. Sim, pois esta pop-king-ong internacional conseguiu um resultado por muitos sonhados e sem resultados até então: abalar a raiz da principal causa do desmatamento amazônico. Sim, escrevam sobre isso jornais, divulguem o feito!!! Este mês, tive a chance de participar de várias atividades com o SOS Mata Atlântica e público em geral. E o mais curioso é que perguntei, persistentemente a mais de 200 pessoas "Qual é a principal causa do desmatamento da Amazônia, na sua opinião?". Que me lembre, tirando 6 crianças que acertaram, o coletivo popular impera: as madeireiras. E esticando a prosa, é quase unânime: as madeireiras desmatam pra, em grande parte exportar ilegalmente as nossas madeiras tropicais pra países que pagam por isso, como os da União Européia... e aí, nos resignamos com o último pensamento: nada a fazer, ainda nos usam como colônia.

Não dá pra dizer "nada disso", pois há uma cota de verdade nisso, afinal, o mercado de exploração ilícita continua retirando não apenas nossas árvores, mas das últimas remanescentes de florestas tropicais em Gana na África ou em Bornéu, na Ásia. Mas se quisessemos ajudar a diminuir o desmatamento irracional da Amazônia, que podemos fazer nós, pacatos cidadãos? E aí, é que não me canso de pensar na tacada do Greenpeace: Genial caras!
Depois de 3 anos investigando, lançado este mês o relatório "A Farra do Boi", que não apenas desmascara números até agora desconhecidos, mas também nos coloca na posição de réus, junto com outras grandes corporações. Resumidamente, e o que vocês devem lembrar e associar ao desmatamento da Amazônia é: PICANHA! Sim, a criação de gado de corte é a maior responsável de longe pelo desmatamento da floreste densa chuvosa brasileira. Segundo o Greenpeace, "A indústria da pecuária na Amazônia brasileira é responsável por um em cada oito hectares destruídos globalmente. ". Muito já se falava sobre isso entre os ambientalistas. O que não se havia feito até então é ter dado nome aos bois, literalmente. Nesse relatório, o Greenpeace mostra a rota da devastação: "evidências ligam a cadeia contaminada de produtos amazônicos aos fornecedores de muitas marcas reconhecidas mundialmente, incluindo uma longa lista das chamadas empresas ‘Blue Chip’ (‘ações de primeira linha’): Adidas, BMW, Carrefour, EuroStar, Ford, Honda, Gucci, IKEA, Kraft, Nike, Tesco, Toyota, Wal-Mart."

E a lista não pára: o couro também vai terminar em artigos de luxo da Boss, Geox, Gucci, Hilfiger, Louis Vuitton e Prada. Empresas européias usam na confecção de vagões de trem: Trenitalia, Eurostar Group, Cisalpino AG (todas italianas) e as francesas SNCF e Thalys International. Refeições prontas vendidas em super ou lojas de conveniência na Inglaterra: 6,3% do consumido lá vem dos 3 frigoríficos brasileiros. Unilever, Johnson & Johnson e Colgate Palmolive compram a glicerina, produto bovino da Bertin.


Bom, como vocês podem imaginar, a divulgação dessa cadeia simplesmente arrebentou com o maior produtor de carne do mundo.

E teje dito. Num país onde o senado se "dana pra opinião pública", esses frigoríficos operavam sem medo do que os stakeholders (falo deles numa próxima) poderiam pensar. Verifiquei e vi que nenhum deles possui Relatório de Sustentabilidade... claro. Mas a casa caiu. Quais foram os capítulos da novela, na sequência?

- A Associação de Supermercados de SP, representando os distribuidores (Wal-Mart, Carrefour e Pão de Açucar) : Só compro carne se comprovar que a origem não é da Amazônia Ilegal

- A Adidas: Bertin, queremos uma reunião já, aqui na Alemanha, com um representante do Greenpeace presente. Não compramos mais couro que não tenha certificado de origem...

- IFC (Corporação Financeira Internacional), braço financeiro do Banco Mundial para o setor privado, anunciou que vai descontinuar a parceria com a Bertin, que incluía um empréstimo de US$ 90 milhões para que a empresa frigorífica brasileira expandisse suas operações na Amazônia. O valor ainda pendente do financiamento, no valor de US$ 30 milhões, será cancelado.

- Os frigoríficos: Essa ONG estrangeira deve ser expulsa do país. Vamos processá-los

- Nossos políticos... bom é só ver no próximo post, o que esses canalhas fizeram... até se enrolaram na bandeira brasileira.. mas de patriotismo nada, pura sem-vergonhice (mais uma vez)
Pois é... tenho que dar o braço a torcer... o que o Dunga e o Greenpeace fizeram, cada um à sua maneira, mudaram o rumo das coisas... pelo menos por enquanto!

3 comentários:

Dimitry disse...

Me fez desistir de comprar uma BMW!

Os Incansáveis disse...

Sobre o desmatamento na Amazônia, há um estudo muito bacana de 2 jornalistas que percorreram a Amazônia (principalmente o Pará) no ano passado. Eles apresentaram o estudo no evento "Conexões Sustentáveis: São Paulo-Amazônia" em outubro de 2008. Você pode ver o documento no link http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/files/conexoes_sustentaveis_0.pdf
A partir desse evento, ONGs e empresas assinaram pactos (elaborados por uma equipe encabeçada pelo Instituto Ethos) em que se comprometeram a não comprar madeira ilegal, a não comprar carne de áreas embargadas pelo IBAMA, etc. Você pode encontrar mais detalhes no portal do Instituto Ethos (http://www.ethos.org.br)
Denise

Silvia disse...

Esta atitude irresponsável dos governantes de não por realmente fim a estes crimes ambientais, só da mais força para que os criminosos continuem agindo descaradamente. Mas nós todos cidadãos conscientes devemos também continuar lutando à exemplo do que o Greempeace conseguiu, mexeu com grandes nomes, que terão que se adequar, e nós agir como o amigo Dimitry, não comprar nada que venha da Amazônia ilegal!